Processo eleitoral da Socicom tem inscrição de chapa única

O Comitê Eleitoral designado pela diretoria executiva para conduzir a sucessão da Socicom (Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação) homologou a inscrição de uma única chapa para o biênio  2018-2020.

A Chapa "Em defesa da comunidade científica brasileira" foi formada a partir da indicação das entidades filiadas.  Na presidência está a professora da UFPI, Ana Regina Barros Rêgo Leal (Alcar), como Vice-Presidente, Nélia Del Bianco (Intercom),  na Diretoria Administrativa, Cristina Schmidt (Rede Folkcom), na Diretoria de Relações Nacionais,  Rudimar Baldissera (ABRAPCORP) e na Diretoria de Relações Internacionais,  Fernando Oliveira Paulino  (ULEPICC).

A eleição da nova diretoria se dará, conforme previsto nos estatutos da entidade, na Assembleia Geral Ordinária do Conselho Deliberativo a ser realizada no dia 17/1/2018  na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, Sala da Congregação – Prédio Central – 1°Andar, Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443, Cidade Universitária, São Paulo, SP, às 16h30 horas, em primeira convocação e, às 17h00, em segunda convocação.   

 

CHAPA: EM DEFESA DA COMUNIDADE CIENTÍFICA BRASILEIRA 

Presidente - Ana Regina Barros Rêgo Leal  (ALCAR)

Vice-Presidente - Nélia Del Bianco (INTERCOM)

Diretora Administrativa - Cristina Schmidt (REDE FOLKCOM) 

Diretoria de Relações Nacionais - Rudimar Baldissera (ABRAPCORP)

Diretoria de Relações Internacionais - Fernando Oliveira Paulino (ULEPICC) 

 

AÇÕES PROPOSTAS PARA O BIÊNIO 2018-2020

1. Continuar a consolidação da  SOCICOM no plano nacional e internacional.

2. Promover maior articulação e colaboração entre as entidades afiliadas, ampliando também a visibilidade e reflexividade delas no campo da comunicação e no relacionamento com a sociedade civil, objetivando formar uma frente ampla no combate aos ataques que o campo científico e acadêmico vem sofrendo no Brasil.

3. Desenvolver ações coordenadas com as Instituições associadas com o intuito de envolvê-las no debate nacional sobre Políticas Científicas para a área da Comunicação.

4. Contribuir para o debate permanente das questões relacionadas à expansão e aperfeiçoamento do Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia, em especial, do modelo de financiamento de pesquisas. Contribuir para a consolidação do Marco Legal de Ciência e Tecnologia

5. Contribuir, por meio de ações conjuntas com o Fórum de Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas e demais entidades do meio acadêmico e científico, para a consolidação de uma Política de Ciência Tecnologia e Inovação para as áreas Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas.

6. Fomentar o diálogo com o Estado e a sociedade civil organizada, no sentido de contribuir para a democratização da comunicação e formulação de políticas públicas de comunicação e informação.

7. Desenvolver ações destinadas à busca da excelência do ensino superior de comunicação e a implementação da grande área da comunicação junto ao MEC e ao MCTIC.

8. Ampliar a visibilidade da SOCICOM por meio de ações e parcerias com as Instituições afiliadas.

9. Apoiar a Instituições afiliadas objetivando fortalecê-las.

10. Potencializar as parcerias com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência-SBPC com o intuito de atuar junto às instancias do Poder Legislativo Nacional visando defender e fortalecer o campo das ciências e tecnologia.

11. Promover a inserção social das entidades e instituições associadas por meio de colaborações com entidades, movimentos sociais e populares, em atividades de pesquisa, extensão e ação social.

12. Consolidar o desenvolvimento do espaço ibero-americano de comunicação, intensificando o diálogo soberano com a comunidade internacional, através do estabelecimento e/ou fortalecimento dos vínculos com as instituições que participam dos diálogos globais tais como: ALAIC, CIESPAL, ASSIBERCOM, CONFIBERCOM, FELAFACS, ECREA, ICA, IAMCR, ABOIC, dentre outras.

13. Fixar agendas de trabalho com instituições internacionais  com o objetivo propor ações conjuntas para a área da comunicação, sobretudo, na América Latina.