2018 JORNADA BELTRANIANA SP

As inscrições para a “2018 Jornada Beltraniana São Paulo” estão abertas. 
Acesse aqui a FICHA DE INSCRIÇÃO
 
 
Programação

 

8 de agosto de 2018 - quarta-feira
Coordenação: Profa. Ms. Sonia Regina S. da Cunha (PPGCOM ECA-USP)

Local: Centro Cultural José Marques de Melo

Rua Joaquim Antunes, 711 - São Paulo

Realização: REDE FOLKCOM

Apoio: INTERCOM e Cátedra UNESCO/METODISTA

Comitê Científico: Profa. Dra. Sonia Jaconi (METODISTA), Profa. Dra. Eliane Mergulhão (FATEC), Prof. Dr. Itamar Nobre (UFRN)

9h00 Abertura


9h15 Mesa I

Viver é um desafio

Desafiar é viver

Por isso eu vou vivendo

Sempre buscando aprender

Para não ser devorado

Pela falta de saber. (*)

 

Participantes:
Profa. Dra. Fátima Feliciano (Metodista)

Profa. Dra. Maria Isabel Amphilo (Metodista)
Artista e Prof. Dr. Elinaldo Meira (Paulus)

Mediadora: Profa. Ms. Sonia Regina S. da Cunha (PPGCOM ECA-USP)


10h30 Mesa II

Prazer em ser de Alagoas

com requintes verdadeiros

é um Estado exemplar

pai de enormes guerreiros

no mundo é conhecida

por ser terra de pioneiros

dentre todos, o mais inteligente e belo

nosso querido professor JOSÉ MARQUES DE MELO. (**)

 

Participantes:

Prof. Dr. Antonio Andrade (Metodista)

Profa. Dra. Sonia Jaconi (Metodista)

Silvia Marques

Mediadora:Profa. Dra. Eliane Mergulhão (FATEC)


12h00 Encerramento

 

(*) Nildo Cordel

(**) Adaptado por Regina Cunha do cordel de Cristovão Augusto

 

 

Release2018 Jornada Beltraniana SP

Por Sonia Regina Cunha (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.)

São Paulo, julho de 2018.

 

2018 JORNADA BELTRANIANA SP

Memória Histórica e Afetiva– Por iniciativa do querido e saudoso professor José Marques de Melo, pesquisadores comunicacionais de todo o Brasil se reuniram em agosto de 2010, na Universidade Estadual de Ponta Grossa (PR) para homenagear o aniversário de nascimento de Luiz Beltrão (8/8/1918, Olinda/PE – 24/10/1986, Brasília, DF) e os 50 anos de sua obra “Iniciação à Filosofia do Jornalismo”. O encontro histórico marcou o início das “Jornadas para Estudos Beltranianos”, ganhando adeptos em vários estados brasileiros que passaram a realizar, anualmente, as “Jornadas Beltranianas”, como ficaram conhecidos os encontros.

O objetivo das “Jornadas Beltranianas” é promover um encontro interdisciplinar entre estudantes, artistas populares, professores, pesquisadores e o público em geral para ampliar o debate sobre a Folkcomunicação, noção teórica que estrutura a tese defendida por Luiz Beltrão, na Universidade de Brasília, em 1967, quando ele se tornou o primeiro doutor em Ciências da Comunicação do Brasil. A importância da Teoria da Folkcomunicação para os estudos das Ciências da Comunicação, tanto no Brasil, quanto no exterior, está na visão de mundo, plural e humanizada, expressa por Beltrão em sua pesquisa e que desvela “a complexidade das expressões informativas e opinativas dos candangos, habitantes dos cinturões de miséria que se multiplicam ao redor de Brasília”[1].Beltrão escreveu cerca de vinte livros e inúmeros artigos científicos, criou o ICINFORM – Instituto de Ciências da Informação (1963), organizou currículos de diversas faculdades por todo país e ministrou cursos nas áreas do jornalismo e relações públicas no Brasil e no exterior.Para o professor José Marques de Melo (2014) os estudos empíricos de Luiz Beltrão foram inspirados na “concepção gramsciana de folclore cultivada pelo baiano Édison Carneiro, estudando o processo de aculturação das populações marginalizadas, procedentes da zona rural, fenômeno por ele rotulado como Folkcomunicação”[2].

Em 2018, o estudo e o debate da obra de Luiz Beltrão fortalece a memória sensível para homenagear José Marques de Melo, um dos principais interlocutores da herança intelectual beltraniana. Mais do que nunca, Marques de Melo estará presente através dos depoimentos de todos aqueles que conviveram e saborearam de sua sabedoria exemplar e de seu espírito paciente, dedicado e bem-humorado.

Plural e Humano– Em 2018, ano que marca os cem anos de nascimento de Luiz Beltrão, já temos agendadas duas Jornadas Beltranianas, uma em São Paulo, no dia 8 de agosto e a outra em Joinville, no dia 3 de setembro, por ocasião do congresso nacional da INTERCOM na Univille/SC. A realização é da REDE FOLKCOM com o apoio da INTERCOM e da CÁTEDRA UNESCO/METODISTA. A coordenação geral desses dois eventos está a cargo dos diretores da REDE FOLKCOM: Vice-Presidente, Prof. Dr. Guilherme Moreira Fernandes (UEPG) e da Diretora Financeira, Prof. Ms. Sonia Regina Cunha (USP). O Comitê Científico conta com o apoio da Presidente da REDE FOLKCOM, Profa. Dra. Eliane Mergulhão (FATEC), do Diretor Científico da REDE FOLKCOM, Prof. Dr. Itamar Nobre (UFRN) e da Profa. Dra. Sonia Jaconi (METODISTA).  

A “2018 Jornada Beltraniana São Paulo” vai acontecer no dia 8/8/2018, das 9 às 12 horas, no Intercom Pinheiros, R. Joaquim Antunes, 711, e terá dois momentos importantes:

Na primeira parte, teremos uma mesa que irá destacar a contribuição intelectual de Luiz Beltrão para os estudos comunicacionais com a participação da Prof. Dra. Fátima Feliciano (Metodista), autora de “Trajetória de vida em Luiz Beltrão: Singular e Plural” e da Profa. Dra. Maria Isabel Amphilo (Metodista). Também teremos a presença do artista de poéticas da visualidade, Prof. Dr. Elinaldo Meira (Paulus).

Na segunda parte, teremos uma mesa para homenagear o professor Marques de Melo, com a participação da Sra. Silvia Marques (viúva do professor Marques) e dos queridos professores doutores Antonio Andrade e Sonia Jaconi que sempre estiveram ao lado do professor Marques no cotidiano acadêmico e sócio afetivo da Cátedra Unesco e da Universidade Metodista.

As inscrições para a “2018 Jornada Beltraniana São Paulo” estão abertas. O certificado de participação aos presentes ao evento será enviado para o e-mail cadastrado na Ficha de Inscrição: https://goo.gl/forms/j2adYly1HeSf7i6J2

Caminhada do Saber– Participar da Jornada Beltraniana é empreender uma viagem pelo tempo do conhecimento. Caminhos não lineares que se encontram assincronicamente durante a caminhada de um coletivo em constante crescimento evolutivo na contemporaneidade, alimentado pela polifonia dos caminhantes. Porque aprender não é destino. Conhecimento é evolução do Humano Ser. A perspectiva psicossocial da pesquisa folkcomunicacional proposta por Luiz Beltrão, na década de 1960, observava a passagem processual do tempo cultural na vivência cotidiana do Humano Ser no mundo contemporâneo. Ouvir o Outro: inovativo paradigma dialógico processual do hodierno antanho temporal. O Outro de Luiz Beltrão tem a força da oratura ancestral expressa na criatividade da arte popular que movimenta as engrenagens da ordem tecnocrática. Para a ciência da arte, cultura e comunicação popular a roda do tempo vai e volta conforme o fluxo dialógico do Eu e o Outro. Ondas de energia escalares dançam sem ritmo o batuque dos tambores dos povos da floresta. A cibernética genômica sonha imitar a mão do lavrador que fecunda o milho no coração antes da semeadura. A singular visão de Luiz Beltrão revela que através da teoria e metodologia da Folkcomunicação é possível ouvir os Outros no mundo contemporâneo, de acordo com o desenvolvimento tecnológico e histórico, observando dialogicamente o ritmo do tempo, os códigos e as expressões sociais, culturais e comunicacionais.

Sejam todo (as) muito bem-vindos (as)!

 

 

Retrospectiva histórica:

 

JORNADAS DE ESTUDOS BELTRANIANOS

 

I

2010

12 a 14/8

UEPG

50 anos do livro Iniciação à Filosofia do Jornalismo

II

2011

maio

Fund. Joaquim Nabuco (Recife)

 

III

2014

16 e 17/8

Intercom/Centro Cultural José Marques de Melo (SP)

Cordel de época, o jornal das classes subalternas

IV

2015

8/8

Intercom/Centro Cultural José Marques de Melo (SP)

Folkcomunicação: história, pesquisa e manifestações

VI

2016

8/8

Intercom/Centro Cultural José Marques de Melo (SP)

Atualidade e Vigor do Pensamento de Luiz Beltrão

V

2017

8/8

Intercom/Centro Cultural José Marques de Melo (SP)

Mutações Folkcomunicacionais: os novos pagadores de promessa

 

 

 



[1]MELO, José Marques de. Jornadas Beltranianas, por José Marques de Melo. In: Revista Imprensa, 03/07/2014.

[2]Idem.